8 de jul de 2011

O seu bichinho está com gripe?


O seu cãozinho está com o nariz escorrendo e espirrando com freqüência? Parece que o seu gatinho está tossindo? Esses podem ser sinais de doenças respiratórias que são comuns na época de inverno. Como acontece com os humanos, o clima frio e seco, além das mudanças bruscas na temperatura, ajudam no aparecimento dessas doenças. 
    A traqueobronquite infecciosa canina, também conhecida como tosse dos cães ou gripe canina, pode afetar diretamente os cães de todas as raças e acaba resultando na inflamação do sistema respiratório.
    Para evitar esse problema, o ideal é não tosar os bichinhos durante esse período. Já para os animais que têm pelo curto, é indicado o uso de roupas. Além disso, é necessário reduzir a freqüência de banhos e usar água morna. Quando o animal sair do banho, é melhor evitar que ele pegue friagem. A transmissão também se torna mais freqüente em locais com grande concentração de animais como hotéis, lojas de animais, praças e canis. 
    O sintoma mais freqüente é a tosse seca que acaba piorando com exercícios físicos. Além disso, também podem aparecer febre, falta de apetite e secreção nasal.

31 de mar de 2011

Por que os cães têm medo de fogos de artifício?


O seu cãozinho fica desesperado quando em dias de festas estouram fogos de artifício? Isso acontece, pois esses animais têm uma capacidade auditiva cerca de quatro vezes maior que os humanos e qualquer barulhinho acaba se tornando um ruído muito forte e ensurdecedor para eles. Também conseguem ouvir sons que são absolutamente inaudíveis para nós.
    Normalmente, os cães têm muito medo de barulho de trovões, secadores e máquinas de lavar roupa. Quando se sentem acuados, começam a tremer, procuram o seu dono ou então se escondem em locais de difícil acesso.
    Em alguns casos, os veterinários recomendam remédios para evitar o pânico que são ministrados nos dias em eu acontecem barulhos muito altos. Outras formas de tratamentos são as terapias de dessensibilização que acostuma o bicho com os sons que ele tem medo. Essas terapias são geralmente feitas com CD's que tem os barulhos que mais causam fobias nos animais. Os sons são deixados para os animais ouvirem para que não fiquem com medo.
    Entretanto, se o problema não for grave, para tentar acalmar o seu bichinho é preciso ter paciência e fazer carinhos nele para que ele se sinta seguro. Em pouco tempo, o animal vai se acostumar com esses barulhos e ficará mais tranqüilo.


23 de mar de 2011

Ronronar dos Gatos


Os biólogos têm obtido pouco sucesso em entender como os gatos ronronam. Em fevereiro de 1991, os fisiologistas Dawn Frazer e David A. Rice, da Universidade Tulane, em Nova Orleans, La., e G. peters do Museu Alexander Koenig, na Alemanha, registraram que o ronronar consiste de um som de baixa frequência produzido pelas vibrações na laringe dos gatos, durante a respiração. Estes pesquisadores registraram os sons através de instrumentos colocados em diversas partes do corpo dos gatos. Eles também descobriram que os sons não são ligados ao padrão de respiração dos gatos, o que explica o porquê do ronronar constante. O ronronar pode de fato ocorrer simultaneamente com outras vocalizações.

Os cientistas não sabem o propósito do ronronar, porém, poder ter sido útil aos ancestrais selvagens dos gatos. O ronronar parece ser um sinal de contentamento, mas mesmo gatos que estejam doentes ou desconfortáveis podem ronronar. Donos de gatos reconhecem que o ronronar acontece quando os gatos estão em meio a pessoas, mas a presença de humanos não é essencial para o ronronar. Os gatos podem ronronar durante o acasalamento, e filhotes enquanto são amamentados. Mas nenhum gato de nenhuma idade ronrona enquanto dorme.

21 de mar de 2011

Dicas para viajar e levar o seu cão com segurança.


Para quem tem cachorro, viajar sem ele pode ser uma tortura. Mas antes de pensar na saudade que vai sentir, é bom saber as maneiras corretas de transportar o seu querido bichinho e também se convém expor seu cão a tais condições. Começando pela distância, uma viagem longa pode estressar o animal que costuma estranhar lugares novos, por exemplo, pode ocorrer episódios de diarréia e perda de apetite, se for o caso apenas da viagem.
Outra dica importante, é quanto ao clima. Cães não suam, e uma viagem de carro por exemplo, pode elevar muito a temperatura corpórea. Então prefira viajar em horários frescos e sempre procure oferecer água ao animal. No avião todos animais são transportados no porão, onde a temperatura é de 22°C. A necessidade de sedação fica a critério do veterinário ou sua, dependendo do caso. Com relação a documentação, cada país tem uma legislação diferente e esses documentos devem ser apresentados à transportadora na hora do embarque.
Em casos de passeio rápido, deve-se lembrar que o animal não pode ser transportado solto em caçambas. Hoje em dia existem cintos de segurança próprios para eles. Também não é permitido que o animal fique solto dentro do veículo em movimento, ou mesmo no colo. Para locomoção segura e livre de infrações ou multas de trânsito, utilize as caixas de transporte ou as cadeirinhas. Fique atento também quanto a vacinação do animal.
Tente não expor seu cachorro a viagens desgastantes e desnecessárias. Animal idoso ou com menos de 4 meses, são mais frágeis e os mais novinhos ainda não recebeu toda vacinação necessária para sua proteção, deixando-o vulnerável a doenças. Nesses casos só o levem se for absolutamente necessário.
Seguindo essas instruções e mantendo-se informado, seu cão com toda certeza vai adorar fazer turismo com você. Sempre com corforto e segurança!


16 de mar de 2011

Ranking: Os 10 cães mais inteligentes do mundo!!!

Velocidade de raciocínio: até 95% de chances de assimilar um novo comando na primeira vez.
Novos comandos: aprende em até 5 repetições.


1- Border Collie
Porte: Pequeno a Grande
Origem: França
História
Cão pastor de origem, o Border Collie foi desenvolvido na Grã-Bretanha por fazendeiros da acidentada região da fronteira entre a Escócia e Inglaterra, no começo do século 19. No Brasil, as primeiras importações ocorreram por volta de 1914, mas antes já havia exemplares nas fazendas de ovelhas do interior do País.
O Border Collie é um cão leal, elegante, sensível e reservado com estranhos. 
A pelagem pode ser longa ou curta, sendo bicolor (preto e branco). 

O Border Collie pode medir entre 40 a 52 centímetros de altura e pesar de 13 a 18 quilos.  



2- Poodle
 Porte: Pequeno a Grande
Origem:  França
História
Antes de virar um dos xodós das cortes européias, o Poodle era utilizado para a caça aquática na Alemanha. Era ele que buscava as aves que caíam dentro d'água. Poodle em alemão é "pudel", palavra derivada de "pudelin", que significa "jogar-se na água". Entretanto, o Poodle tornou-se mais popular e adquiriu suas características atuais como cão de companhia na França, onde passou a freqüentar as cortes a partir do reinado de Luís XIV.

O Poodle não tem cheiro forte e não solta pêlos pela casa. 

O Poodle pode ser encontrado em quatro tamanhos: 1° é o standard (de 45 a 60 cm), de estatura grande e forte,o 2° mais tradicional, de tamanho médio, com altura que varia (de 35 a 45 cm),o 3° Poodle miniatura (de 28 a 35 cm) e por último o 4° o Poodle Toy (no máximo, 28 cm), é o menor de todos e de vida mais longa.



3- Pastor Alemão
Porte: Grande
Origem: Alemanha
História
Durante 3 mil anos, os alemães aprimoraram seus cães de pastoreio até chegar ao Pastor Alemão, em 1882, por Max von Stephanitz. Foi o cão de guerra escolhido pelo exército do Kaiser na Primeira Guerra Mundial, apesar de ser uma raça originalmente de pastoreio de ovelhas. Até então, o Pastor Alemão só podia ser encontrado na Alemanha e em poucos locais dos Estados Unidos e Inglaterra. Ao fim da guerra, muitos oficiais do exército retornaram para casa com um exemplar da raça, disseminando o Pastor Alemão pelos demais continentes.


Foi desenvolvido para guarda, mas também cumpre muito bem seu papel de cão pastor, de busca e salvamento, farejador, guia para deficientes visuais e companhia. Rápido, ágil, corajoso, inteligente e obediente, é um dos melhores para o adestramento.


A altura varia de 55 a 65 centímetros. O peso, de 27 a 38,5 quilos. 




4- Golden Retriever
Porte: Grande
Origem: Reino Unido
História
O Golden Retriever foi desenvolvido na Escócia e Inglaterra, no final do século 19, para buscar a caça. Seu nome vem do francês "retrouver", que quer dizer "recuperar" ou "encontrar". A raça foi primeiramente desenvolvida por Dudley Marjoriebanks que, mais tarde, viria a ser o primeiro Lorde Tweedmouth. Ele ficou tão impressionado com oito desses cães apresentados num circo, em Brighton, no sul da Inglaterra, que, depois de muita insistência, conseguiu que lhe vendessem todos os exemplares. Esses cães foram levados para a cidade de Guisachan, na Escócia, e passaram a ser conhecidos como Guisachan Retrievers. Acredita-se que no desenvolvimento da raça foram incluídos Tweed Water Spaniels, Terranovas Ligeiros e Setters, resultando em um cão carinhoso e bem-humorado.


O Golden Retriever é bem equilibrado, atraente e de expressão doce. É simétrico, potente, bonito e elegante. 


Sua cor pode ser qualquer tonalidade de creme ou dourado e sua altura varia entre 53 e 61 centímetros. O peso alcança entre 27 e 34 quilos. 




5- Doberman Pinscher
Porte: Médio
Origem: Alemanha
História
Um coletor de impostos alemão, funcionário do canil local e, de quebra, também trabalhava como policial à noite, foi o criador da raça Dobermann Pinscher. Louis Dobermann, nascido em 1823 na cidade de Apolda, na Alemanha, decidiu que ele precisava de um cachorro para protegê-lo em suas rondas. Foi em 1880, cruzando várias raças, entre elas a German Pinscher, German Shorthaired Pointer, Great Dane, Weimaraner e Manchester Terrier, que Louis chegou ao animal feroz, resistente, de pêlo curto e porte médio que ele tanto procurava. O padrão oficial da raça Dobermann foi reconhecido na Alemanha em 1900.


Veloz, ágil e resistente, o Dobermann, de origem alemã, é um cão policial ideal para proteger residências de moradores que viajam muito. 


 Na idade adulta, tem altura de 63 a 72 centímetros e peso de 32 a 45 quilos.


6- Pastor de Shetland
Porte: Pequeno
Origem: Grã-Bretanha 
História
Acredita-se que os Collies, que foram levados à ilha Shetland há muitos anos, deram origem à raça, por meio de cruzamentos e consangüinidade. Outra corrente afirma que criadores ingleses criaram um Collie, há algumas décadas, apresentando-o como o Shetland. Outra versão ainda é que um terceiro tipo de Collie miniatura foi criado, causando mais polêmica. Mas nenhum deles tinha a capacidade dos Shetlands originais, que guardam até hoje suas habilidades de pastor.


Cão pequeno, forte, rústico, de pelagem dupla, espessa e abundante,a cabeça, elegante e refinada, com orelhas dobradas nas pontas, completa a beleza valorizada pela pelagem preta, azul ou dourada, com manchas brancas ou castanhas.Inteligente e obediente, é um ótimo companheiro para as crianças, participando com elas de suas brincadeiras.


Sua altura varia de 33 a 40 centímetros e seu peso entre 4 e 8 quilos.


7- Labrador Retriever
Porte: Grande
Origem: Grã-Bretanha
História
É originário de Newfoundland ou Terra Nova, na costa oriental do Canadá, onde era utilizado por pescadores para puxar as redes até a terra. Foram levados para a Grã-Bretanha por volta de 1830. Grandes nadadores, de pelagem impermeável, foram usados também pelos pescadores para trazer as amarras que caíam nas águas.


Cão ativo e irrequieto, o Retriever do Labrador possui corpo forte, compacto e musculoso,a pelagem dupla pode ser de três cores: preta, chocolate ou fígado e amarela, que varia do quase branco a um pouco avermelhado.
A raça é inteligente, alegre, amorosa e fácil de criar.


Com altura entre 54 e 57 centímetros e peso de 25 a 34 quilos.




8- Papillon
Porte: Pequeno
Origem: Bélgica/França
História
Sua primeira representação conhecida é do início do século 14, em afrescos de uma igreja de Assis, na Itália, pintados por Giotto. Acredita-se que tenha nascido da fusão do extinto Spaniel Anão da Bélgica com alguma raça canina oriental.


Papillon significa borboleta em francês.
Ao seu tamanho pequeno, fácil de carregar, uniram-se o temperamento meigo, tranqüilo e garboso, diferenciado pelas orelhas eretas em formato de asas de borboleta.
Há também uma outra espécie da raça de orelhas caídas, chamada Phalene (em francês, mariposa).
A pelagem do Papillon é fácil de ser tratada e se apresenta nas cores preta, vermelha e mel, misturadas com branco. Sem subpêlo e ondulada.
Por causa do seu tamanho e fragilidade, não é indicado para crianças ou conviver com animais grandes.


Sua altura pode chegar a 28 centímetros e o peso varia de 2,5 a 5 quilos.




9- Rottweiler
Porte: Grande
Origem: Alemanha
História
Não se sabe ao certo a origem deste cão. Uns dizem que ele é 100% alemão. Mas a maioria dos especialistas acredita que ele descende de Molossos, originários do Mastim do Tibete. Esses Molossos teriam sido levados pelos romanos que instalaram uma base militar avançada na região de Wurttemberg, ao sul do país. Ele quase foi extinto e só escapou disso quando, em 1910, a polícia alemã o requisitou para auxiliá-la.


Cão robusto e compacto, tem grande agilidade e resistência. Sua pelagem é curta, densa e brilhante, na cor preta com marcações em marrom.Calmo e seguro de suas ações, o Rottweiler é um cão de pouca movimentação e silencioso, ideal para residências. Inteligente, aprende facilmente os comandos quando adestrado. 


A altura varia de 56 a 68 centímetros e o peso de 37 a 65 quilos.  




10- Australian Cattle Dog
Porte: Médio
Origem: Austrália
História
Originária da Austrália, acredita-se que se desenvolvimento aconteceu a partir da colonização inglesa na região. Durante a migração, os ingleses levaram seus cães de trabalho para a Austrália e tentaram aproveitar as raças que possuíam grande habilidade no
pastoreio nas ilhas britânicas num ambiente totalmente diferente que é o deserto australiano. Estes primeiros cães eram conhecidos como Smithfields, nome do mercado central de carnes em Londres. Genericamente, estes cães eram descritos como sendo cães pesados, pretos, com orelhas caídas e pelagem longa. Apesar de serem excelentes pastores em sua terra natal, não conseguiam a mesma performance no novo ambiente, especialmente porque a pelagem densa e longa aliada ao calor australiano dificultava sua atuação no trabalho com o gado.

Sua fidelidade e instinto de proteção o tornam um cão ideal para a guarda do fazendeiro, do rebanho e da propriedade. 
pelagem deve ser lisa; dupla com um subpêlo curto e denso. A pelagem de cobertura é fechada, os pêlos são retos, duros e assentados, sendo resistentes à chuva.


Nos machos a altura varia de 46 a 51 cm. nas fêmeas, de 43 a 48 cm.
Seu peso pode variar entre 15 a 25 kg.








Seja qual for a raça do seu amigão e mesmo que ela não tenha pedigree...cuide muito bem dele!!!

Conheça 12 curiosidades sobre os cachorros



Você sabia que dar chocolate ao seu cãozinho pode matá-lo. 
Pois é... aqui 12 curiosidades que talvez você não saiba sobre o melhor amigo do homem.


1 - A maior ninhada ocorreu em 1944 quando uma American Foxhound teve 24 filhotes.

2 - Dar chocolates aos cães pode ser fatal para eles. Um ingrediente do chocolate, a teobromina, estimula o sistema nervoso central e o músculo cardíaco. Cerca de 1 kg de chocolate ao leite, ou 146 gramas de chocolate puro podem matar um cão de 22 kg.
3 - Dois cães sobreviveram ao naufrágio do Titanic. Escaparam nos primeiros botes salva-vidas, que levavam tão poucas pessoas que ninguém se importou que eles estivessem ali.
4 - Já não existem mais Huskies Siberianos na Sibéria.
5 - O olfato dos cães é um dos melhores da natureza. Se as membranas situadas no nariz dos cães fossem estendidas, elas seriam maiores que o próprio cão.
6 - Os cães de guarda são mais suscetíveis a atacar um estranho correndo, que um que esteja parado.
7 - Os cães selvagens que vivem em matilhas na Austrália são chamados Dingos.
8 - Os cães têm cerca de 100 expressões faciais, a maior parte delas é feita com as orelhas.
9 -Os cães veem cores, mas não tão nitidamente como os humanos.
10 -Os estadunidenses gastam mais dinheiro em alimentos para cães do que para humanos.
11 - Quando os cães têm dor de barriga, comem mato para vomitar.
12 - Se um cão mantém o rabo erguido, é sinal de dominação.

14 de mar de 2011




" Para cuidar é preciso, antes de tudo, estar comprometido com o outro,
com sua singularidade, ser solidário com suas necessidades, confiando em suas capacidades.

Disso depende a construção de um vínculo entre quem cuida e quem é cuidado."
[RCNEI Vol.1, pág. 75; MEC, 1998.]

Quando adquirimos um animal de estimação, estamos assumindo uma grande responsabilidade. Serão 10 a 15 anos de convivência, e para que esta convivência seja harmoniosa e feliz, algumas regras devem ser seguidas de forma a proporcionar qualidade de vida e bem estar ao nosso melhor amigo. O termo Guarda Responsável então, refere-se justamente a isso: um conjunto de normas e regras que incluem, entre outras coisas, alimentação de qualidade, assistência veterinária periódica, vacinação, abrigo, carinho e proteção, provendo qualidade de vida e bem estar aos nossos animais.

Os principais mandamentos da Guarda Responsável

Mais do que água e comida, este membro da família necessita de alguns cuidados que irão proporcionar saúde e tranqüilidade tanto para o animal quanto para seu guardião. Ao agir com responsabilidade, estaremos contribuindo para o combate ao abandono de animais bem como maus tratos e possíveis doenças transmitidas por eles em nossa cidade. Porém, antes de adotarmos ou comprarmos um animal precisamos refletir com cuidado sobre algumas questões muito importantes:
     
 Toda a família está de acordo com a chegada de um novo animalzinho?
 Você tem um espaço apropriado na sua casa para ele?
 Você está disposto a educar seu novo amigo, com paciência, mesmo que ele não aprenda na 1ª vez?
 Se adotar um cão, você o levará para passear todos os dias, não importando como estiver o tempo?
 Quando crescer, você cuidará dele como no primeiro dia? O manterá sempre limpinho?
  Recolherá todas as suas fezes e limpará o seu xixi?
 Você comprará sempre a comida adequada para ele?
 O levará ao veterinário sempre que for necessário e para avaliações periódicas, vacinações e afins
 E, sobretudo, você terá capacidade para amá-lo e comprometer-se durante toda a vida dele, que poderá durar até 15 anos ou mais?

Se todas as suas respostas foram "Sim", parabéns! Vocês têm muitas possibilidades de serem felizes juntos.